sexta-feira, maio 26, 2006

entrenós

você nem existe e as vezes penso em você.
sim, como se eu imaginasse cada momento que passaríamos juntos.
e se cada momento existisse, o quão bom seria.
e enquanto você contempla esse quase oceano a sua frente, e seus cabelos se mexem sozinhos, me sinto sozinho.
e tenho o oceano de verdade pra mim.

o que importa, então?
um quase oceano ou um oceano de verdade?
a existência tua ou a minha solidão?

o que importa é que sei que conforme as ondas batem nas pedras, meu coração segue o ritmo.
independentemente de quantas ondas eu perceba, e de quantas existam, e de quantas... ah, quantas, e inúmeras são essas ondas... que levam e trazem delírios de sra. woolf no banco do onibus e batidas de carros e de corações.
quantas pessoas no mundo hoje, sozinhas, olharam o mar?





em total desequílibrio, buscando paz ou simplesmente esperando o tempo passar, acompanhando a erosão e sentindo fazer parte do mundo pelo simples fato saber que existe um mar, observando.
e assim os minutos passam, seguros e decididos, para mim e para ti.
de formas diferentes, pois você não existe. e nenhuma trajetória pré-estabelecida de onibus impede que eu vá para longe.

perto de ti, longe de mim e vice-versa, sempre haverá um oceano.
entre nós.
entrenós.

4 comentários:

manu disse...

Trudging slowly over wet sand, back to the bench where your clothes were stolen...

Thays disse...

Oii rickee..
sempre dou uma passadinha aki no teu blog pra ler os textos..
sao inspiradores!!!
enqnto vc libera o seu "eu"..melhora um pokinho do eu de cada um q le!
saudads das tuas chegadas-apressadas- no nosso ap em floripa!!
heheh
bejoos

sabe como? disse...

inspirador, sempre. concordo.

e a identificação, no meu caso. aff. nunca com as situações, sempre com o clima geral. e isso que é o foda da coisa toda, e de encontrar pessoas no mundo.



aprender a nadar.

Anônimo disse...

I find some information here.