quinta-feira, novembro 09, 2006

Que dera soubesse deonde veio e para onde vai.
Esse sentimento não pertence mais a esses olhos.
Onde encontrara tal fixação?
Essa mania toda de estar sempre querendo ser feliz?

E amar, para quê?
Quem disse que recompensas teria?
Ora, respostas assim são tão fáceis mas tão dificeis de se ter.

Quem sabe um dia, ao acordar, perceba um dia sem sol porém repleto de luz,
E saia sem oculos para proteger as retinas,
nem all star para proteger os pés.
E molhe a sola na grama de orvalho,
e caiam as flores e folhas sobre o cabelo,
e faça tudo ao redor girar,
e faça a vida seguir
e o coração parar.

Quem sabe, assim, descanse em paz.
Mas não. Para se descansar, cansado se deve estar.

E olhar pela janela todos os dias dá uma vontade imensa de voar.

Um comentário:

marie disse...

oun, amado.
às vezes esqueço como é bom ler teu blog.
(L)