domingo, fevereiro 17, 2008

8h10 - levanto da cama, marcele dorme na cama ao lado. Já entra sol pela janela, fazendo o dia ser sentido em todos os cantos do quarto. Lembro que preciso comprar cortinas.

9h00 - saio de casa, seguindo para o trabalho. Na esquina, em frente a banca de revistas, uma mulher dorme no chão, quase encostada na porta de sanfona.

9h15 - subo no onibus, vazio. Sabado de manha, com sol. Somente quem tem que trabalhar está acordado, dentro de um onibus. Escuto música, "Elephant Gun". Gosto de olhar pela janela no caminho, ver o mar. Me sinto bem, apesar do mau-humor matinal.

10h as 19h - trabalho.

19h20 - estou no ponto de onibus, em frente ao shopping. Cinco membros de uma familia passeiam de bicicleta. Numa, o pai e a filha, e na outra a mãe, o filho e o cachorro na cestinha. Subo no onibus, me sento.

19h30 - o onibus passa novamente pela familia, mas desta vez o cachorro corre ao lado da bicicleta, com a corrente presa na cestinha.

19h40 - no terminal as pessoas começam a se aglomerar para esperar o onibus que leva até as suas casas. Quando este chega, descem os passageiros, e entre eles uma mulher carregada de sacolas, e segurando um buquê. Ela está feliz, em suas calças amarelas e blusa branca. Alguém a ama.

Um comentário:

skubastive disse...

Eu queria ser essa mulher. Ela tem sorte. :)