sábado, julho 15, 2006

existência

Tem coisas que a gente vê e fazem acordar.
Tem coisas que a gente ouve e fazem viver.

Tem coisas que a gente bebe e fica tudo bem.

Toma uma cerveja comigo hoje, no balcão do bar, e prometo não escorrer pelos dedos.
(pelos meus dedos)

Assim, continua o ciclo de fugas e não-fugas.

E quiçá você esteja aqui.
Pero, creo que no.

Pena. Queria que estivesse. As vezes parece que você não existe.
E existe?
Contradição. Existo demais, pra ti, talvez. Sou supraexistente dentro de mim.
Enquanto você... ah, você... Você talvez só exista porque eu quero. Porque eu penso, lembro.

E eu, existo. E não consigo evitar.

8 comentários:

sabe como? disse...

"inevitável", já diria... eu.

Anônimo disse...

seja menos grave
mais idiota
se desapegue

de si


a gravidade é tããão semana-passada

p. disse...

ta existence c´est un morceau d´une pappilon.

petit prince disse...

mas de semanas passadas também se faz uma vida.

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»

Anônimo disse...

Nice idea with this site its better than most of the rubbish I come across.
»